/// . Baobá Voador .

A mãe terra enfrenta dias sombrios. O mundo atravessa sua maior crise social, econômica e política provocada pela pandemia do covid-19 que atinge apenas seres humanos, colocando a humanidade em profunda reflexão e resistência pela preservação da vida. Nós povos indígenas, assim como os brancos também sofremos e somos vitimados por este vírus que já […]

Arundhati Roy fala das crises dentro da crise e de como um mundo ja esta sendo criado por nacionalistas e grandes corporacoes, e como devemos passar por esse portal de forma diferente, deixando coisas para tras e de como a  luta pelas politicas se torna mais importante do que nunca. Estamos correndo para a nosso […]

http://solid.noblogs.org/ Site de solidariedade com os mas vulneraveis no Brasil. Para que links nao se percam e que redes se fortaleçam! b

https://n-1edicoes.org/007 Texto de B. Preciado sobre os efeitos das poltcas e culturas nos corpos dos sujeitos. Leitura essencial!

Ríos secos a causa de la extracción minera y del robo de agua para riegos masivos de palma africana. Guatemala ocupa el cuarto lugar en la  tala ilegal de árboles a nivel mundial, un país deforestado hasta la raíz; se acabaron la selva Lacandona para cuartear terrenos para fincas ganaderas y de siembra de palma africana. […]

Artigo de Eliane Brum de setembro de 2014, mais atual que nunca Do Antropoceno à Idade da Terra, de Dilma Rousseff a Marina Silva, o antropólogo Eduardo Viveiros de Castro e a filósofa Déborah Danowski pensam o planeta e o Brasil a partir da degradação da vida causada pela mudança climática Se alguns, entre os […]

“No dia 13 de maio de 1958 eu lutava contra a escravatura atual: a fome!”. Carolina Maria de Jesus registrava o cotidiano da favela. Seu primeiro livro, “Quarto de Despejo – Diário de uma Favelada“, foi publicado em 1960 e traduzido para 16 idiomas. #NovembroNegro

Categories: Descolonizar | Add a Comment

Imagem Salvador Dali, Poesia Carlos Drummond de Andrade E como eu palmilhasse vagamente uma estrada de Minas, pedregosa, e no fecho da tarde um sino rouco se misturasse ao som de meus sapatos que era pausado e seco; e aves pairassem no céu de chumbo, e suas formas pretas lentamente se fossem diluindo na escuridão […]