/// . Baobá Voador .
Arte, resistência e rebeldia na Internet – Convocatória Zapatista

Convocatória para todxs se juntarem à edição cibernẽtica de CompArte “Contra o capital e suas paredes, Todas as artes”

Julho de 2017

Companheirxs, Companheiros e companheiras da Sexta:

Artistas e não artistas irmãs e irmaos do México e do mundo:

Avatares, screennames, webmasters, bloggers, moderatxrs, gamers, hackers, piratas, bucaneiros and caçadores de streaming, usuários de redes anti-sociais, reality show antípodas, or seja-o-que-queres chamar-te cada pessoa na rede, a web, a internet, ciberespaço, realidade virtual, ou seja-qual-for-o-nome:

Estamos convocando você porque existem algumas questões que estão nos provocando:

Existe outra Internet, outra rede possível? Pode uma estar contida ali dentro? Ou este espaço sem geografia precisa já foi ocupado, capturado, cooptado, amarrado, anulado, etceterizado? Pode existir resistência e rebelião ali? Pode-se fazer Arte na Internet?Como é essa arte?Pode se rebelar?Pode a Arte na net resistir a tirania dos cõdigos, senhas, spams e o navegador padrão, os MMORPGs [plataformas multiplayer massivas online de jogos role-playing] das notícicias nas redes sociais aonde a ignorância e a estupidez ganha miçhẽs de likes? A Arte na, pela e para a net trivializa e banaliza a luta, ou a potencializa e a escalona, ou está “tortalmente não relacionada, meu amigo, é arte, não uma célula militante”? Pode a Arte na net atingir os muros do Capital e danificá-lo com uma fissura, ou aprofundá-la e persistir naquelas que já existem? Pode a Arte na, pela e para a net resistir não somente à lógica do Capital, mas também a lógica da Arte “distinta”, “arte real”.

É o virtual também virtual em suas criações? É o bit o material cru de sua criação? É criado por um indivíduo? Aonde está o arrogante tribunal que, na Net, dita o que é e o que não é Arte? O capital considera que a Arte nam pela e para a net é ciberterrorismo, ciberdelinquência? É a net um espaço de dominação, domesticação, hegemonia, homogeneidade? Ou é um espaço em disputa, em luta? Podemos falar de materialismo digital?

A realidade, tanto real quanto virtual, é que sabemos quase nada sobre o universo. Mas acreditamos na que na geografia inassiminável da net também existe criação, arte. E, é claro, resistência e rebelião.

Você que cria arte aí, você vê a tormenta? Você sofre dela? Você resiste? Você se rebela?

Tentar achar algumas respostas, convidamos todos a participar… (íamos colocar “de qualquer e toda geografia”, mas achamos que a net é o lugar aonde a geografia é menos importante).

Enfim, convdamos vocês todxs a construir suas respostas, ou desconstruí-las, com arte criada na, com e para a net. Algumas categorias que podes participar (com certeza existem mais, e com certeza você acha essa lista pequena mas, como você deve saber, “o que falta é o que está porvir”):

Animação; Apps; Arquivos e banco de dados; Bio-arte and arte-ciência; Ciberfeminismo; Filme Interativo; Conhecimento Coletivo, Congestionamento cultural; Ciber-arte; Web Documental; Economias e finanças Experimentais; Eletrônica DIY, máquinas, robôs e drones; Escrita Coletiva; Geolocalização; desenho gráfico, hacking criativo, graffiti digital, hacktivismo e hacking de fronteira; impressão 3D; Interatividade; Literatura electrônica e hipertexto; Cinema ao vivo, VJ [video-jaying], Cinema expandido; Machinima; Memes; Mídia Narrativa; Net.art; Net Audio; Performance Mediada, dança e teatro; Psycho-geografias; realidade Alternada; reality aumentada; realidade virtual; Redes Colaborativas e translocalidades (design comunitário, práticas translocais); Cultura do Remix; Software art; Streaming; Mídia Tática; Telemática e telepresença; Urbanismo e comunidades online/offline; Videogames; Visualização; Blogs, Flogs [Photoblogs] and Vlogs [Videoblogs]; Quadrinhos Web; Séries Web, novelas de internet, e aquilo que você notou que está fora da lista.

Então nosso convite se extende a todas as pessoas, coletivos, grupos e organizações, reais ou virtuais, que trabalham desde zonas autônomas de trabalho, que usam plataformas cooperativas, software livre, software de código aberto, licenças alternativas de propriedade intelectual  e etcceteras cibernéticos.

Damos boas-vindas a participação de todxs os feitores de cultura, independente das condições materiais em que trabalham.

Também convidamos você para que diferentes espaços e coletivos ao redor do mundo possam mostrar seus trabalhos em suas localidades, de acordo com seus próprios costumes, formas, interesses e possibilidades.

Se você já possui algo em algum lugar do ciberespaço para nos contar, mostrar, compartilhar convidarnos a contruir colaborativamente? Nos mande seu link e su junte a exposição online desse CompArte digital.

Você ainda não tem lugar para subir seu material? Nós oferecemos para você, e na medida do possível, podemos armazenar seu material para que seja lembrado no futuro. Neste caso precisamos que você nos passe um link para uma “nuvem”, servidor cibernético ou algo similar de sua preferência. Ou nos envie por email, ou suba para uma de nossas nuvens ou por FTP.

Enquanto oferecemos espaço para hospedar todos os materiais, porque gostaríamos que faça parte de um arquivo de arte da net solidária, também iremos linkar outras páginas, servidores ou geo-localidades porque entendemos que na era do capital global é estratégico descentralizar.

Então, como prefira:

Se você quer publicar informação nos seus sites, do seu jeito e costume, podemos linkar para ele.

Se precisas de espaço, estamos aqui para hospedá-lo.

Você pode nos escrever um email com informação sobre a sua participação. Por exemplo, o nome dos criadores, ou criadorx, título, e a categoria que ele pode ser incluido, assim como uma pequena descrição e imagem. Também nos diga se tens espaço na net ou somente quer que publiquemos o link, ou se prefere subir para o nosso servidor.

O material que recebermos neste momento de convocatória é aberto e será classificado em diferentes categorias de acordo com sua (in)disciplina. As participações serão tornadas públicas durante os dias do festival para que cada indivíduo possa navegar, usar (ou abusar) e compartilhar em seus lugares de encontro, ruas, escolas ou qualquer lugar que prefira.

As participações serão publocadas como publicações ou links.

Também vamos publicar um calendário para streaming direto. As atividades serão arquivadas para todxs que não tiverem a chance de vê-los ao vivo.

O email para você nos escrever e enviar seu link ou se comunicar conosco é:

compas@comparte.digital

A página em que estarão os links par as participações será ainda subida e deverá estar funcional no dia 1 de agosto de 2017 e é:

http://comparte.digital

Nessa página, de 1 a 12 de agosto, será transmitido os streamings de diferentes participações artísticas do bbciberespaço local ao redor do mundo.

Bem-vindx então, a edição virtual da “CompArte for Humanity” (CompArte para Humanidade):

“Contra o Capital e seus muros, Todas as Artes… Incluindo as Cibernéticas”

Ok, obrigada, e sem curtir mas dedo do meio em riste e que se fodam os muros, delete o Capital.

Desde as mountanhas do Sudeste Mexicano.

Sexta Comissçao, Nova mas On-Line, do EZLN.

(Cheia de bandalarga, meu amigo, pelo menos até onde a cintura aguenta – oh sim, nerd e gorda é quente-)

Julho de 2017.

ART, RESISTANCE AND REBELLION ON THE NET

Leave a Reply